quarta-feira, maio 17, 2006

Procurador-geral inocenta Lula e afirma que acusação é política

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, garantiu ontem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem envolvimento com o esquema do valerioduto e disse que quem acusa o chefe do Executivo “está fazendo uma leitura política”. Souza também desqualificou a lista publicada pela revista Veja no fim de semana com nomes de autoridades como Lula que, supostamente, teriam dinheiro no exterior.

Sobre o valerioduto, Souza alertou que a solução política tem de ser tomada no Congresso ou nas eleições e não no Ministério Público. “Quando os parlamentares vão lá (na Procuradoria) eu digo que não vão ter solução política dentro do Ministério Público. Também não se pode querer resolver a questão política no STF. Solução política é dentro do Congresso. Ou então na urna”, afirmou. “A minha peça (denúncia no STF contra 40 pessoas acusadas de envolvimento com valerioduto) é técnica. Eu estou afirmando que fizeram tal coisa e tal coisa é tida como crime”, disse.

O procurador afirmou que no inquérito não há nenhuma referência ao presidente da República. “São quilos de documentos e montanhas de depoimentos e não há nenhuma referência a ele”, disse. Indagado se Lula não poderia ser investigado por suspeitas de comandar o esquema ou até de ter sido omisso, ele respondeu: “Será que era ele mesmo?”

Souza disse que algumas pessoas podem fazer ilações sobre a sua denúncia, mas observou que o seu trabalho não faz referência a nenhum partido político como organização criminosa, mas sim a pessoas determinadas. Ele disse que em qualquer instituição há pessoas com desvio de conduta. “Evidente que quem está na luta política aproveita o que está dito para tirar essas conclusões”, declarou.

“Organização criminosa é um termo técnico. É composta de pessoas que estão nominadas. Não quer dizer que é uma organização que esteja penetrada por todo o Estado. Quem está investigando tem de ter pelo menos uma referência. Você não pode inventar”, disse. Ele informou que vai continuar a investigar o esquema do valerioduto e que em breve pedirá novas diligências ao STF para investigar congressistas que ainda não foram denunciados.

Contas

Sobre a lista publicada pela revista Veja com as supostas contas de autoridades no exterior, Souza disse que já tem informações de que não há nada de ilegal em relação a pessoas citadas. “O Márcio (ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos) já me demonstrou que o dinheiro que ele tinha saiu regularmente do país e retornou regularmente ao país. Quando a pessoa declara no Imposto Renda que tem recurso no exterior e se refere àquele recurso, o que eu posso fazer? Está regular. Essas coisas (listas) chegam aos montes. Mas eu não embarco em qualquer uma”, concluiu.

Informações da Agencia Estado

Um comentário:

LULA LA disse...

EM 2006 E LULA OUTRA VEZ!!!!!!!!!